segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Receita do kibe de forno

Um dos meus momentos de criatividade na cozinha nos rendeu essa bela receita de kibe de forno, sem carne. Aprecie!
  • 250g de trigo;
  • uma cabojã (também conhecida como abóbora japonesa) cozida e sem casca;
  • ricota temperada e defumada;
  • azeitonas verdes sem caroça e em rodelas;
  • 1 pacote de creme de cebola;
  • hortelã picado grosseiramente;
  • noz moscada;
  • pimenta síria;
  • panir (ferva 2 l de leite, acrescente o suco de 1 limão e mexa por 3 min.; coe, retirando o soro);
  • sal a gosto.

Hidrate o trigo e misture com todos os outros ingredientes. Leve ao forno por 40 minutos em forno médio e bon apetit!

terça-feira, 23 de novembro de 2010

sábado, 13 de novembro de 2010

ONU recomenda mudança global para dieta sem carne e sem laticínios



Segundo relatório da ONU, um consumo reduzido de produtos de origem animal é necessário para salvar o mundo dos piores impactos das mudanças climáticas. ONU afirma que agricultura se equivale ao consumo de combustíveis fósseis porque ambos crescem rapidamente com o desenvolvimento econômico.

Uma mudança global para uma dieta vegana é vital para salvar o mundo da fome, da escassez de combustíveis e dos piores impactos das mudanças climáticas, afirmou hoje um relatório da ONU. Na medida em que a populção mundial avança para o número previzível de 9,1 bilhões de pessoas em 2050 e o apeite por carne e laticínios ocidental é insustentável, diz o relatório do painel internacional de gerenciamento de recursos sustentáveis do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP).

Diz o relatório: “Espera-se que os impactos da agricultura cresçam sustancialmente devido ao crescimento da população e do consumo de produtos de origem animal. Ao contrário dos que ocorre com os combustíveis fósseis, é difícil procurar por alternativas: as pessoas têm que comer. Uma redução substancial nos impactos somente seria possível com uma mudança substancial na alimentação, eliminando produtos de origem animal”.

O professor Edgar Hertwich, principal autor do relatório, disse: “Produtos de origem animal causam mais danos do que produzir minerais de construção como areia e cimento, plásticos e metais. A biomassa e plantações para alimentar animais causam tanto dano quanto queimar combustíveis fósseis”.

A recomendação segue o conselho de Lorde Nicholas Stern, ex-conselheiro do governo trabalhista inglês sobre a economia das mudanças climáticas. O Dr. Rajendra Pachauri, diretor do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), também fez um apelo para que as pessoas observem um dia sem carne por semana para reduzir emissões de carbono.

O painel de especialistas categorizou produtos, recursos e atividades econômicas e de transporte de acordo com seus impactos ambientais. A agricultura se equiparou com o consumo de combustível fóssil porque ambos crescem rapidamente com o desenvolvimento econômico, eles disseram.

Ernst von Weizsaecker, um dos cientistas especializados em meio ambiente que coordenaram o painel, disse: “A crescente riqueza econômica está levando a um maior consumo de carne e laticínios – os rebanhos agora consomem boa parte das colheitas do mundo e, por inferência, uma grande quantidade de água doce, fertilizantes e pesticidas”.

Tanto a energia quanto a agricultura precisam ser “dissociadas” do crescimento econômico porque os impactos ambientaris aumentam grosso modo 80% quando a renda dobra, afirma o relatório.

Achim Steiner, subsecretário geral da ONU e diretor executivo da UNEP,afirmou: “Separar o crescimento dos danos ambientais é o desafio número um de todos os governos de um mundo em que o número de pessoas cresce exponencialmente, aumentando a demanda consumista e persistindo o desafio de aliviar a miséria e a pobreza”.

O painel, que fez uso de diversos estudos incluindo o Millennium Ecosystem Assessment (avaliação do ecosistema no milênio), cita os seguintes itens de pressão ambiental como prioridade para os governos do mundo: mudanças climáticas, mudanças de habitats, uso com desperdício de nitrogênio e fósforo em fertilizantes, exploração excessiva dos oceanos e rios por meio da pesca, exploração de florestas e outros recursos, espécies invasoras, fontes não seguras de água potável e falta de saneamento básico, exposição ao chumbo, poluição do ar urbano e contaminação por outros metais pesados.

A agricultura, particularmente a carne e os laticínios, é responsável pelo consumo de 70% de água fresca do planeta, 38% do uso da terra e 19% da emissão de gases de efeito estufa, diz o relatório, que foi liberado para coincidir com o dia Mundial do Meio Ambiente no sábado.

Ano passado, a Organização de Alimentos e Agricultura da ONU (FAO) disse que a produção de alimentos teria de aumentar em 70% para suprir as demandas em 2050. O painel afirmou que os avanços na agricultura serão ultrapassados pelo crescimento populacional.
O professor Hertwich, que é também diretor de um programa de ecologia industrial na Universidade Norueguesa de Ciência e Tecnologia, disse que os países em desenvolvimento, onde se dará grande parte do crescimento populacional, não devem seguir os padrões de consumo ocidentais: “Os países em desenvolvimento não devem seguir nossos modelos. Mas cabe a nós desenvolver tecnologias em, digamos, energia renovável e métodos de irrigação.”

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

O que fazemos na vida ecoa pela eternidade.

A vida é a arte de superar os obstáculos, aprender com as dificuldades, e se fortalecer ainda mais a cada prova.
O sucesso e a felicidade é para os que lutam pelos seus verdadeiros sonhos e nunca desistem até alcançá-los.

Assista ao vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=8FTEvbsnyU0&feature=player_embedded

Acesse o blog do DeRose: www.metododerose.org/blogdoderose

sábado, 16 de outubro de 2010

Nossa definição de qualidade de vida


Texto extraído do pocket O que é o Método DeROSE

Qualidade de vida é tornar sua existência descomplicada, é fazer o que lhe dá prazer, com alegria, saúde e bem-estar.

Qualidade de vida é suprir as necessidades fisiológicas e ergonômicas, é adotarmos hábitos que promovam e mantenham a funcionalidade do corpo, do emocional e do mental, é o aprimoramento e desenvolvimento das nossas habilidades, através do trinômio: boa alimentação, boa forma, e boa cabeça.

Qualidade de vida é relacionar-se de maneira descontraída, ética e responsável com o meio ambiente e o meio sócio-cultural, procurando compartilhar e interagir, agregando sempre generosidade, elegância, respeito e carinho às nossas relações humanas (sociais, profissionais, familiares, afetivas e outras), mediante a adoção de um conjunto de valores que incluem boa cultura, boa civilidade e boa educação.

Qualidade de vida é adotar uma visão de mundo que nos motive a buscar o desenvolvimento e o aprimoramento contínuo, conquistando a nossa excelência através do estudo, dos ideais e do autoconhecimento.

Qualidade de vida é manter um padrão de gastos dois degraus abaixo do que você ganhar. É residir próximo ao trabalho. É alimentar-se com frugalidade. É conseguir extrair satisfação de todas as coisas. É esbanjar o seu tempo dando atenção aos amigos e conhecidos. É dar flores à pessoa amada. É não se deixar abalar pelos percalços da vida. É amar com franqueza e perdoar com sinceridade.

Estes são nossos valores.



segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Força, Poder e Energia no Templo Bar




Para quem ainda não viu, essa é mais uma chance de desfrutar a beleza e energia desta exposição!

A partir dessa quarta-feira, dia 13/10, começa a 3a edição da exposição fotográfica do Projeto "Força, Poder e Energia", no Templo Bar, permanecendo até o dia 23 deste mês.

Desta vez, as fotos podem ser adquiridas por você.


Acesse o blog do projeto: www.fotoscontraluz.wordpress.com

domingo, 10 de outubro de 2010

Matéria da ZCastel expõe o sucesso do Projeto Força, Poder e Energia


Leia a matéria que foi publicada no dia 30/9/2010:

Exposição fotográfica faz sucesso em Bauru


Marina Engler, Marisa Gonçalves do Buffet Olívia e a fotógrafa Fernanda Vasconcelos

Está sendo considerada um grande sucesso a 2ª Edição da Exposição Fotográfica “Força, Poder e Energia”, que até o dia 1/10 está em cartaz na Moldura Minuto, em Bauru.

Com belíssimas fotos de autoria da fotógrafa Fernanda Vasconcelos e ásanas realizados pela instrutora do Método DeROSE, Marina Engler, a mostra está surpreendendo os visitantes pela originalidade das imagens das silhuetas corporais obtidas na técnica fotográfica contraluz.

No concorrido coquetel de abertura da exposição, a chef Marisa Gonçalves brindou os convidados com uma surpreendente mesa de canapés coloridos, especialmente criados para combinar com a temática da mostra. Sempre produzindo a gastronomia dos eventos mais badalados da cidade, Marisa mostra seu talento e sua criatividade para personalizar os cardápios de acordo com os temas das festas.

Sucesso absoluto, para os olhos e para o paladar dos visitantes.

Na foto, um momento das expositoras com a chef. Da esquerda para a direita: Marina Engler, Marisa Gonçalves e Fernanda Vasconcelos.

Projeto Força,Poder e Energia: www.fotoscontraluz.worpress.com

Acesse também o site da coluna social da cidade ZCastel, www.zcastel.com.br.

Segunda edição da exposição “Força, Poder e Energia”


A abertura da exposição fotográfica Força, Poder e Energia, na galeria da Moldura Minuto de Bauru, contou com a presença de um público muito especial. Agradecemos aos amigos, familiares e quem prestigiou e apoiou este projeto feito com dedicação.

Um agradecimento especial ao André Anastácio, da Moldura Minuto, pela receptividade e patrocínio, e Marisa Gonçalves do Buffet Olívia, pelo banquete que esbanjou beleza e sabor agradando a todos os convidados.

Foi uma satisfação receber pela primeira vez em Bauru o Professor Flávio Moreira, da Unidade do Método DeROSE Paes de Barros (SP), meu monitor, que veio acompanhar de perto o desenvolvimento do meu trabalho aqui no interior.

O diferencial ficou por conta das demonstrações de coreografias dos instrutores Gisele Corres e Rafael Ramos, da Unidade Anália Franco (SP). As apresentações surpreenderam a todos, somando graça e beleza ao evento. As coreografias, uma das características do Nosso Método, são a mais plena expressão de força, poder e energia, capturados pelas lentes da fotógrafa Fer Vascocelos.

Veja as fotos do evento:


Vista dos convidados num gostoso bate-papo, saboreando as delícias do buffet Olívia

Estela, Aicha El Samad e Neiva Siotane

Marina Engler, Fernanda Vasconcelos e Marisa Gonçalves

Marisa Gonçalves, Marina Engler, Fernanda Vasconcelos e Marcia Vasconcelos

Convidados assistem às coreografias e conhecem um pouco mais sobre o Método DeROSE


Gisele Correa, demonstrando sua coreografia do Método DeROSE

Gisele Correa, Prof. Flávio Moreira, Marinez de Almeida, Liliane Varela e Rafael Ramos

Saiba mais sobre o Projeto Força, Poder e Energia no blog Fotos Contraluz.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Parmegiana de legumes

Aí vai uma receitinha deliciosa e prática para incrementar sua alimentação no dia-a-dia:

Ingredientes

• 2 berinjelas grandes, cortadas em rodelas;

• 4 abobrinhas grandes, cortadas em rodelas;

• ½ kg de batatas, cortadas em rodelas;

• 300 gramas de queijo prato ou parmesão ralado;

• 4 ovos batidos em neve;

• ½ kg de molho de tomate.

Modo de preparo

Grelhar todos os legumes separados. Colocar num pirex uma camada de berinjelas, uma camada de molho de tomate, uma camada de queijo. Em cima, colocar uma camada de abobrinha, molho, queijo e, por último, despejar os ovos em neve. Temperar a gosto. Depois, coloque no forno por aproximadamente 15 minutos.


Receita retirada do livro Alimentação vegetariana: chega de abobrinha, do Escritor DeRose.

Vegetarianos e suas frases





Durante o almoço de hoje, meu pai me perguntou quem eram os vegetarianos e se entre eles havia algum gênio.
Lembrei-me de alguns, mas fiquei de enviar uma lista com os mais conhecidos.
Ei-la:

Frases de vegetarianos famosos:


"Os animais do mundo existem para seus próprios propósitos. Não foram feitos para os seres humanos, do mesmo modo que os negros não foram feitos para os brancos, nem as mulheres para os homens."
Alice Walker

"Haverá um tempo em que os seres humanos se contentarão com uma alimentação vegetariana e julgarão a matança de um animal inocente da mesma forma como hoje se julga o assassino de um homem."
Leonardo da Vinci

"Nada beneficiará tanto a saúde humana e aumentará as chances de sobrevivência da vida na Terra quanto a evolução para uma dieta vegetariana. A ordem de vida vegetariana, por seus efeitos físicos, influencá o temperamento dos homens de uma tal maneira que melhorará em muito o destino da Humanidade."
Albert Einstein

"Enquanto o homem continuar a ser o destruidor dos seres animados dos planos inferiores, não conhecerá a saúde nem a paz. Enquanto os homens massacrarem os animais, eles se matarão uns aos outros. Aquele que semeia a morte e o sofrimento não pode colher a alegria e o amor."
Pythagoras

"Ser vegetariano é estar sempre em boa companhia, com gente leal, culta, ecológica, fiel e espiritualizada."
Swami Vyaghrananda

"Ser vegetariano é viver uma vida de paz, saúde e longevidade."
Sócrates, filósofo grego

"Feliz seria a terra se todos os seres estivessem unidos pelos laços da benevolência e só se alimentassem de alimentos puros, sem derrame de sangue. Os dourados grãos que nascem para todos dariam para alimentar e dar fartura ao mundo."
Buda

"Eu sou a favor dos direitos animais bem como dos direitos humanos. Essa é a proposta de um ser humano integral."
Abraham Lincoln

"Eu não tenho dúvidas de que é parte do destino da raça humana, na sua evolução gradual, parar de comer animais."
Henry David Thoreau

"Deveríamos ser capazes de recusar-nos a viver se o preço da vida é a tortura de seres sensíveis."
Mahatma Gandhi

"Quanto mais o homem simplifica a sua alimentação e se afasta do regime carnívoro, mais sábia é a sua mente."
George Bernard Shaw

"É somente pelo amaciamento e disfarce da carne morta através do preparo culinário, que ela é tornada susceptível de mastigação ou digestão e que a visão de seus sucos sangrentos e horror puro não criam um desgosto e abominação intoleráveis."
Percy Bysshe Shelley

"Se o homem aspira sinceramente a viver uma vida real, sua primeira decisão deve ser abster-se de comer carne e não matar nenhum animal para comer."
Leon Tolstoy

"Que horror é meter entranhas em entranhas, engordar um corpo com outro corpo, viver da morte de seres vivos."
Pythagoras

"A estrutura do homem, externa e interna, comparada com a de outros animais, mostra-nos que as frutas e os vegetais suculentos constituem sua alimentação natural."
Lineu

"Que luta pela existência ou que terrível loucura vos levou a sujar vossas mãos com sangue - vós, repito, que sois nutridos por todas as benesses e confortos da vida? Por que ultrajais a face da boa terra, como se ela não fosse capaz de vos nutrir e satisfazer?"
Plutarco

"Sinto que o progresso espiritual requer, em uma determinada etapa, que paremos de matar nossos companheiros, os animais, para a satisfação de nossos desejos corpóreos."
Mahatma Gandhi

"Os vapores das comidas com carne obscurecem o espírito. Dificilmente pode-se ter virtude se se desfruta de comidas e festas em que haja carne. No paraíso terreno não havia vinho, nem sacrifício de animais e tampouco se comia carne."
São Basílio

"Como rei, esforcei-me para impedir o dano a criaturas vivas e renunciei a ter grande número de caçadores e pescadores e às caçadas a que se entregam outros governantes."
Rei Asoka

"Os vegetais constituem alimentação suficiente para o estômago e, no entanto, recheamo-lo de vidas valiosas."
Sêneca

"O comer carne é a sobrevivência da maior brutalidade; a mudança para o vegetarianismo é a primeira consequência natural da iluminação."
Leon Tolstoy

"A compaixão pelos animais está intimamente ligada à bondade de caráter, e pode ser seguramente afirmado que quem é cruel com os animais não pode ser um bom homem."
Arthur Schopenhauer

"Os animais dividem conosco o privilégio de ter uma alma."
Pythagoras

"Todas as coisas da criação são filhos do Pai e irmãos do homem. Deus quer que ajudemos aos animais, se necessitam de ajuda. Toda criatura em desgraça tem o mesmo direito a ser protegida."
São Francisco de Assis

"Não há diferenças fundamentais entre o homem e os animais nas suas faculdades mentais (...) os animais, como os homens, demonstram sentir prazer, dor, felicidade e sofrimento."
Charles Darwin

"A não-violência leva-nos aos mais altos conceitos de ética, o objetivo de toda evolução. Até pararmos de prejudicar todos os outros seres do planeta, nós continuaremos selvagens."
Thomas Edison

"Para mim, não amar os pássaros e todos os animais seria não amar a Deus. Pois seus filhos são pássaros e animais tanto quanto os seres humanos."
Sadhu Vaswani

Aqui foram listados poucos, para não ficar muito cansativa a leitura:

Platão, Aristóteles, Issac Newton, Yoko Ono, John Lenon, William Blake, Voltaire, Vincente Van Gogh, Uri Geller, Sinéad O'Connor, Paul MacCartney, Sri Ravi Shankar, Ramana Maharshi, Porfírio (filósofo grego), Oliver Stone, Michael Jackson, Lord Byron, Lisa Simpson, Jean-Jacques Rousseau, Immanuel Kant, Franz Kafka, DeRose, Cid Moreira, Carmen Miranda, Buda Siddhartha Gautama, Marina Engler.

Mas caso queira saber mais acesse:


.

Vegetarianismo reconhecido oficialmente como benéfico para a saúde

Essa reportagem do O Globo é de julho de 2009.

Exposição fotográfica do projeto ‘Força, Poder e Energia’


Instrutora do Método DeROSE, Marina Engler e a fotógrafa Fer Vasconcelos

Eis a nota que saiu hoje, 22 de setembro de 2010, no caderno Cultura, do Jornal da Cidade:
Da Redação
Continua, até o próximo dia 1, a segunda edição da exposição de fotografias do projeto “Força, Poder e Energia”, exposta na Moldura Minuto, em Bauru. A idealização do projeto surgiu de uma parceria entre a fotógrafa Fernanda Vasconcelos e a instrutora do Método DeROSE, Marina Engler.

As fotografias foram realizadas em Bauru, Ubatuba e Botucatu, sempre em busca de belas paisagens e auroras multicoloridas.

O resultado são efeitos de silhuetas dos ásanas - técnicas corporais do Método DeR
OSE - com a técnica fotográfica contraluz.

• Serviço

Moldura Minuto fica na rua Araújo Leite, 37-77. 3223-2147.

Link para acessar a reportagem no Jornal da Cidade: http://www.jcnet.com.br/detalhe_cultura.php?codigo=192090

Fisiologia da feminilidade


Adorei esse texto postado por Patrícia Moreira, no blog do DeRose.

Nosso Método é fundamentado num comportamento shakta - matriarcal, sensorial e desrepressor - e sustenta um ponto de vista sámkhya, ou seja, naturalista. O texto abaixo expressa bem esses conceitos da nossa filosofia:

“O desrespeito à natureza tem afetado a sobrevivência de vários seres e entre os mais ameaçados está a fêmea da espécie humana.
Tenho apenas um exemplar em casa,que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém. Portanto, por uma questão de auto-sobrevivência, lanço a campanha ‘Salvem as Mulheres!’

Tomem aqui os meus poucos conhecimentos em fisiologia da feminilidade a fim de que preservemos os raros e preciosos exemplares que ainda restam:

Habitat
Mulher não pode ser mantida em cativeiro. Se for engaiolada, fugirá ou morrerá por dentro. Não há corrente que as prenda e as que se submetem à jaula perdem o seu DNA. Você jamais terá a posse de uma mulher, o que vai prendê-la a você é uma linha frágil que precisa ser reforçada diariamente.

Alimentação correta
Ninguém vive de vento. Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem, sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro. Beijos matinais e um ‘eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Um abraço diário é como a água para as samambaias. Não a deixe desidratar. Pelo menos uma vez por mês é necessário, senão obrigatório, servir um prato especial.

Flores
Também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.

Respeite a natureza
Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia, discutir a relação? Se quiser viver com uma mulher, prepare-se para isso.

Não tolha a sua vaidade
É da mulher hidratar as mechas, pintar as unhas, passar batom, gastar o dia inteiro no salão de beleza, colecionar brincos, comprar muitos sapatos, ficar horas escolhendo roupas no shopping. Entenda tudo isso e apoie.

Cérebro feminino não é um mito
Por insegurança, a maioria dos homens prefere não acreditar na existência do cérebro feminino. Por isso, procuram aquelas que fingem não possuí-lo (e algumas realmente o aposentaram!). Então, aguente mais essa: mulher sem cérebro não é mulher, mas um mero objeto de decoração. Se você se cansou de colecionar bibelôs, tente se relacionar com uma mulher. Algumas vão lhe mostrar que têm mais massa cinzenta do que você. Não fuja dessas, aprenda com elas e cresça. E não se preocupe, ao contrário do que ocorre com os homens, a inteligência não funciona como repelente para as mulheres.

Não faça sombra sobre ela
Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém, se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.

Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar. O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.

É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay.
Só tem mulher quem pode!
Luiz Fernando Veríssimo
TEORIAS DA TRETA”

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Programe-se para as atividades da semana

* Sat Sanga:


É o nome dado ao costume milenar hindu de sentar-se, normalmente à noite, à volta do Mestre ou do preceptor e entre um ensinamento e outro vocalizar mantras, notadamente os do tipo kirtan que possuem uma natureza alegre e extroversora.

“O Sat Sanga é resgatado dos mosteiros e escolas de Yôga e transformado em um show muito animado sem perder nada do seu tradicionalismo ancestral. Revê o valor e contexto desta ferramenta ideal para a meditação e o autoconhecimento e resgata da Índia.

Quem vai ao show nunca o esquece e dele sai tendo experimentado verdadeiramente uma prática de Yôga através de mantra. Uma boa pedida para quem gosta de cultura, novidade e muita animação.”

Texto retirado do site do Mestre Carlos Cardoso.


**Sat chakra:

Círculo de mentalização. Costuma-se trazer algum prato, salgado ou doce, frutas, flores e sucos para confraternização e fortalecimento da egrégora.


***Lançamento Primavera Lola das 14h às 19h + Sat sanga especial na Praça às 17h:

Espaço destinado a artigos de moda em geral.
Vestimentas, acessórios, perfumes e outras cositas mais.
Para saber mais o que tem venha conhecer.
Todos estão convidados!!

Para visualizar o convite para o coquetel de lançamento acesse: http://www.facebook.com/#!/event.php?eid=132578880121036.


quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Moldura Minuto promove exposição fotográfica e coreografias do Método DeROSE


Acontece a 2ª edição da exposição das fotos do Projeto Força, Poder e Energia, de 17/9 a 1/10, na Moldura Minuto em Bauru.

A abertura da mostra ocorre na sexta-feira, dia 17 e conta com um diferencial. Instrutores do Método DeROSE apresentam pela primeira vez na cidade demonstrações de coreografias.

Foram convidados para a apresentação os instrutores Gisele Correa e Rafael Ramos, da Unidade Anália Franco, São Paulo. O evento também recebe a presença do professor da Unidade Paes de Barros Flávio Moreira, membro do Conselho Administrativo e Diretor de Marketing da Rede DeROSE, que fará uma breve explanação sobre o que é o Método.

A idealização do projeto surgiu com a parceria entre a fotógrafa Fernanda Vasconcelos e a instrutora do Método DeROSE, Marina Engler. As fotografias foram realizadas em Bauru, Ubatuba e Botucatu, sempre em busca de belas paisagens e auroras multicoloridas, produzindo efeitos de silhuetas dos ásanas – técnicas corporais do Método DeROSE – com a técnica fotográfica contraluz.

Outras informações: Blog Fotos contraluz

Vernissage: sexta-feira, 17 de setembro, às 20h.

Local: Moldura Minuto

Rua Araújo Leite, 37-77, Jardim Aeroporto, Bauru/SP.

Período de visitação: 17/9 a 1/10, de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h e aos sábados das 9h às 14h.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Moro num país tropical...

Amei demais esse texto de autoria do escritor e educador DeRose. Como sou uma brasileira apaixonada por nossa pátria mãe gentil, não pude deixar de postar aqui também esse texto maravilhoso que diz muito bem quem somos nós.

Obrigada Mestre!



Fonte: Blog do DeRose


Este é um novo capítulo que será inserido no meu livro Ser forte.


Antes de prosseguir relatando as peripécias das minhas vidas, preciso contextualizar onde se passa a história. Vivo em um subcontinente que não considero seja um país e sim um conglomerado de nações federadas sob uma única nacionalidade. Somos vinte e sete estados (um deles se denomina Distrito Federal), cada qual com a sua diferente etnia, religião, culinária e vertente linguística. Nas distintas combinações destas quatro variáveis, em proporções diversas, teceu-se uma vastíssima rede de culturas denominada Brasil.

Como o país promoveu uma imagem equivocada de si mesmo, preciso esclarecer que nossa terra e nossa gente talvez sejam muito diferentes da percepção que o leitor acalenta, mesmo que seja meu conterrâneo!

Estes esclarecimentos também servirão para forrar a cultura de alguns povos que sistematicamente nos perguntam sobre cobras e macacos atravessando a Avenida Paulista. Ou que declaram àquela curitibana ou gaúcha “Você não tem cara de brasileira. Você é loira de olhos azuis!” Assim, para incrementar a cultura geral de muita gente pelo mundo afora, aqui vão algumas informações que provavelmente irão surpreender.

Somos a quinta maior economia do mundo (dados da revista The Economist, de novembro de 2009). Nossa população corresponde a um terço de toda a população da América Maior[1], a qual conta com 33 países. O nosso país sozinho (8.514.876 km2) é maior que toda a Europa Ocidental.

Não se pode estereotipar o nosso povo, já que cada “nação” foi edificada a partir de imigrações muito diferentes. Não podemos, por exemplo, declarar que o povo aqui é branco, ou negro, ou oriental, ou aborígene. Cada estado tem preponderância de alguma dessas etnias ou de uma miscigenação particular. Também não podemos declarar que a população seja católica, ou protestante, ou judia, ou muçulmana, ou shintoísta, ou budista, ou espírita, ou que siga cultos afro. Cada cidade tem sua predominância. Para mencionar apenas alguns desses vinte e sete estados, podemos citar:

O estado do Rio Grande do Sul (281.748 km2) tem território maior que a Inglaterra, Escócia e Irlanda juntos (U.K. = 244.820 km2). A imigração foi principalmente alemã e italiana. Em algumas cidades, ainda é possível escutar os dialetos alemães (Hunsrückisch, Plattdeutsch) e italianos.

O estado de Santa Catarina (95.346 km2) é maior que a Hungria (93.030 km2). Nele, recebemos principalmente a imigração alemã e até hoje há cidades onde só se fala alemão, com exceção da capital, na qual a imigração foi principalmente açoriana. Também tivemos a presença italiana no sul do estado.

O estado do Paraná (199.709 km2) tem território maior que a Grécia (131.990 km2). A imigração foi principalmente alemã, holandesa, italiana, polonesa, ucraniana, japonesa e árabe.

O estado de São Paulo (248.808 km2) tem território em que cabem mais de oito Bélgicas (30.528 km2). A imigração majoritária foi a italiana. Depois, a japonesa. Em seguida, a “árabe” (libaneses, sírios e turcos). Tem uma população israelita bastante expressiva e que se dá muito bem com o segmento islâmico. Convivem lado a lado, fazem negócios entre si e ocorrem até casamentos entre suas famílias!

O estado do Rio de Janeiro (43.909 km2) é maior que a Suíça (39.770 km2). A imigração foi majoritariamente portuguesa, contudo, na serra instalaram-se finlandeses, suecos, suíços e alemães.

O estado da Bahia (567.692 km2) sozinho englobaria facilmente a Inglaterra, Escócia, Irlanda, Grécia, Hungria, Bélgica, Suíça e Portugal. Tem uma presença preponderante da cultura africana na religião, na culinária, na língua e na etnia.

Os estados do Norte são alguns dos maiores. São fascinantes, um outro mundo. Essas regiões apresentam uma influência maior das culturas indígenas.

No Nordeste tivemos invasões holandesas que deixaram muitos genes recessivos de olhinhos azuis que reaparecem aqui e ali; e também invasões francesas que resultaram no nome da capital São Luís.

No Sul e Sudeste as temperaturas no inverno podem chegar a alguns graus celsius abaixo de zero e em algumas cidades, como São Joaquim (SC), costuma nevar.

Segundo o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, dez por cento dos brasileiros tem ao menos um antepassado alemão e 25 milhões são descendentes de italianos, sendo que a metade desse número vive no estado de São Paulo. No entanto, como um todo, fomos colonizados pelo portugueses os quais nos concederam sua nobre língua que é a melhor língua literária do mundo. Oficialmente, falamos português. Coloquialmente, falamos brasileirês que possui uma sintaxe diferente da língua mater e um vocabulário bem diverso, com inumeráveis vocábulos agregados dos povos que para cá emigraram, mais os termos indígenas e africanos, o que tornou o brasileirês a língua de vocabulário mais vasto em uso hoje no mundo e de mais largo espectro fonético. No entanto, regionalmente, surgiram os dialetos simplificados do brasileirês, tais como o gauchês, o carioquês, o mineirês, o paulistês, o paulistanês etc. Fora esses dialetos do português, falam-se nesta terra nada menos que 180 línguas (isso mesmo: cento e oitenta)!

As pronúncias do português (brasileirês) são tão diversas que, normalmente, um habitante do Sul ou do Sudeste não compreende o falar do Nordeste. Temos, por exemplo, três tipos de r: o r francês, produzido na garganta; o r italiano, línguodental; e o r inglês (como em wright), articulado principalmente no interior de São Paulo e de Minas Gerais.

Com uma vastidão territorial como a que foi descrita, bem como com tantas línguas e dialetos, é impressionante que tenhamos preservado uma unidade federativa e uma identidade nacional.

Para completar esta contextualização, que aparência têm as nossas cidades? Bem, cada cidade tem sua personalidade própria, mas podemos afirmar que São Paulo é uma das mais sofisticadas, confortáveis e seguras cidades do mundo (seguras, sim, pois em 66 anos de vida só fui assaltado uma única vez).

Se precisássemos comparar São Paulo com alguma cidade, essa seria New York. São Paulo lembra um pouco Manhattan, só que é melhor. A gastronomia é a mais variada e refinada. Aqui encontrei a mais apurada qualidade de vida. Tanto que, depois de viajar o mundo todo, elegi esta capital para morar e como central internacional do nosso trabalho. Só o fato de que ninguém pára tudo e fecha para o almoço, como fazem em tantos países, já constitui um grande conforto. Além disso, a qualquer hora da madrugada encontramos bons restaurantes, livrarias e supermercados onde podemos fazer compras às duas, três ou quatro da manhã. Muitas empresas funcionam 24 horas por dia.

A qualidade dos produtos e serviços, bem como a cortesia dos profissionais e dos empregados paulistas é proverbial. Até a Polícia Militar é formada por pessoas educadas e de boa índole. O atendimento hospitalar é superior ao da maior parte dos países europeus. Ah! E os nossos chuveiros! É uma delícia retornar da Europa e poder tomar uma ducha decente, com chuveiro fixo na parede e muuuita água, sem o risco de que a água quente vá se acabar no meio do banho.

Então, pergunto eu, será que há crocodilos no Sena ou no Tâmisa?


[1] Denominamos América Maior àquela porção de terras e países que se estende pelas três Américas, desde a Patagônia, no extremo austral da América do Sul, passando por toda a América Central, até o México, na América do Norte. Mesmo assim, não gostamos que nos chamem de “americanos”. Acho que os argentinos, chilenos e todos os demais habitantes das Américas também não gostam e preferem ser conhecidos pelo nome da sua nacionalidade. Da mesma forma, imagino que os estado-unidenses também não gostem de ser chamados genericamente pelo nome de “americanos”, pois essa denominação só se refere ao continente, mas não ao seu país.