sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal!

Proponho que neste dia que comemoramos o nascimento do menino Jesus, paremos para algumas reflexões, para um auto-estudo e para mentalizarmos o que desejamos melhorar e conquistar para o ano que se segue. 

Desejo a todos vocês, meus alunos e amigos, um lindo Natal e um Ano Novo de muita prosperidade, saúde, amor, conquistas, felicidades e uma acelerada evolução pessoal.

A Luara, uma aluna muito querida, postou este texto no Facebook e eu gostei muito. Compartilho com vocês essa mensagem do filósofo Spinoza (1632-1677):




“Pára de ficar rezando e batendo o peito! 
O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. 
Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti. 

Pára de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste 
e que acreditas ser a minha casa. 
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias. 
Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.

 Pára de me culpar da tua vida miserável: 
Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
 O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor, teu êxtase, tua alegria. 
Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.

 Pára de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo. 
Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho... 
Não me encontrarás em nenhum livro!

 Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?

 Pára de ter tanto medo de mim. 
Eu não te julgo, nem te critico, nem me irrito, nem te incomodo, nem te castigo. 
Eu sou puro amor.

 Pára de me pedir perdão. Não há nada a perdoar. 
Se Eu te fiz... Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, 
de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. 
Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti? 
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez? 

Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos 
que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? 
Que tipo de Deus pode fazer isso?

 Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; 
essas são artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti. 
Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti. 
A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida, 
que teu estado de alerta seja teu guia. 

Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, 
nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. 
Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.

Eu te fiz absolutamente livre. 
Não há prêmios nem castigos. 
Não há pecados nem virtudes. 
Ninguém leva um placar. 
Ninguém leva um registro.

 Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.

 Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho. 
Vive como se não o houvesse. 
Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, 
de amar, de existir.

 Assim, se não há nada,
 terás aproveitado da oportunidade que te dei.

 E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não. 
Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste... 
Do que mais gostaste? O que aprendeste?

 Pára de crer em mim - crer é supor, adivinhar, imaginar. 
Eu não quero que acredites em mim. 
Quero que me sintas em ti. 
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada,
quando agasalhas tua filhinha, 
quando acaricias teu cachorro, 
quando tomas banho no mar.

 Pára de louvar-me! 
Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
 Me aborrece que me louvem. 
Me cansa que agradeçam. 
Tu te sentes grato? 
Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo. 

Te sentes olhado, surpreendido?... 
Expressa tua alegria! Esse é o jeito de me louvar.

 Pára de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim. 
A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, 
e que este mundo está cheio de maravilhas. 

Para que precisas de mais milagres? 
Para que tantas explicações?

 Não me procures fora! 
Não me acharás. 
Procura-me dentro... 
aí é que estou, 
batendo em ti.



terça-feira, 13 de dezembro de 2011

SwáSthya Yôga no Parque


Quem está frenquentando já percebeu que a cada prática, estamos conquistando mais apreciadores desta cultura. E também não é para menos: qualidade de vida e autoconhecimento na prática, ao ar livre, aos domingos de manhã é muuuuito bom!

E graças a boa repercussão da nossa iniciativa, o SESC Bauru estará lá neste domingo, dia 18/12, para fazer algumas fotos, vídeos e entrevista para nos ajudar a divulgar algo que é do interesse de todos.

Portanto, peço a presença de todos vocês que já estão me acompanhando nessa jornada. Divulgue, chame seus amigos e familiares. Vamos espalhar esse estilo de vida pela cidade. 

Lembrando: As práticas são abertas, não sendo necessário fazer inscrição alguma. Venha com roupas leves, que não dificultem os movimentos. Traga sua própria esteira ou canga para garantir um lugar confortável.

Já aproveito o post para avisar que este domingo será o encerramento das aulas este ano. Retornamos com força total em janeiro, dia 22.

Como chegar: 


Acesse o Google Maps para visualizar melhor.

domingo, 20 de novembro de 2011

SwáSthya Yôga no Parque


Hoje, dia 20/11/2011 foi o primeiro de muitos domingos regados com prática ao ar livre em Bauru. 
O clima estava muito agradável... gostamos tanto que resolvemos começar definitivamente a praticar todos os domingos às 11h. 
A saber, o SwáSthya acontece em vários parques do Brasil e do mundo.
As práticas são abertas, não sendo necessário fazer inscrição alguma. Venha com roupas leves, que não dificultem os movimentos. 
Traga sua própria esteira ou canga para garantir um lugar confortável.

Espero por você no próximo domingo.

Veja as fotos das aulas no Parque Jardin du Luxembourg, em Paris. 








quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Belo Monte: ainda dá tempo!

Participar do mundo a sua volta: isso faz a diferença! Como já disse Gandhi: "Seja você a diferença que quer ver no mundo!"



Pedimos o vosso empenho e ação para evitar mais um desastre ambiental de proporções gigantescas:!!
Faça sua PARTE Podendo evitar que esse Projeto siga adiante...
Assine Já ; http://www.movimentogotadagua.com.br/assinatura
É a Gota D' Água +10 By:Movimento Gota d' Agua
NOVO SITE http://www.avaaz.org/po/pare_belo_monte/

E falando em macacos...

... Vamos rever nossos conceitos? 
Que tal um pouco mais de autoconhecimento e, consequentemente, mais qualidade de vida?



Como nascem os paradigmas


Síndrome do reflexo de inércia residual
Cinco chimpanzés foram postos numa jaula, onde havia uma escada que dava para alcançar um cacho de bananas. Todas as vezes que um dos chimps subia na escada para colher as frutas os cientistas despejavam jatos de água fria nos outros quatro. Em pouco tempo, eles entenderam e passaram a bater em qualquer um que pusesse os pés na escada. Então, os pesquisadores pararam com os jatos de água e começaram a substituir os macacos, um por um. Quando o novato tentava pegar as bananas todos batiam nele. O interessante foi que, ao substituir todos os símios, nenhum deles sabia por que devia bater em quem subisse na escada, pois nenhum desses havia recebido o jato de água fria, mas todos batiam no macaco que o ousasse.
Para bom entendedor, meia pá.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Sat chakra - novembro 2011

Parabéns Mila pela graduação ao grau de sádhaka.
Você é muito bem-vinda às nossas aulas avançadas de SwáSthya.

E veja as fotos do nosso último sat chakra, que foi muito lindo, cheio de pessoas queridas, muita energia e comidinhas deliciosas.






terça-feira, 11 de outubro de 2011

Contemplação!

Para os que observam a natureza, sempre há os momentos em que se encontra o mais puro silêncio e a mais plena contemplação.

 Uma abelhinha com os gomos de pólen nas patas traseiras no jardim da nossa escola

Um louva-deus numa phragmipedium cardinale, uma das minha orquídeas

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

CONTEMPLA E SÊ FELIZ!


Se teus olhos são impuros, aparta-os daqui.
Se tua língua é ferina, arreda daqui tua injúria.
Se teu pensar é pudico, longe de mim tal vanidade.
Se teu sorrir emana malícia, afasta de mim teu sarcasmo.
... Mas:
... Se teu sorrir é suave,
... Se teu pensar é livre,
... Se tua língua é amor,
... Se teus olhos são pureza,
Então, CONTEMPLA E SÊ FELIZ!

DeRose

terça-feira, 13 de setembro de 2011

iBamboo: som alto sem energia elétrica




Desenvolvido pelo engenheiro Anatoliy Omelchenko, o iBamboo dispensa pilhas e baterias e utiliza a ressonância do bambu para amplificar o som das músicas armazenadas no iPhone 4.


Saiba mais no site da Ibamboo.

sábado, 10 de setembro de 2011

Coreografia: IV Festival de Yôga de Buenos Aires


Assisti a coreografia da diretora artística do Grupo SwáSthya, Adriana Bruer, e adorei.
Essa apresentação foi no IV Festival de Yôga de Buenos Aires, Argentina.
Compartilho agora com vocês.



segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Compartilhando: novo álbum do Pedra Branca

Lançamento oficial do quarto álbum "Radio Global" 2011, do grupo Pedra Branca. 
Escute a primeira faixa do álbum, ou melhor, a primeira estação transmitida é a "Funk Sitar Station": http://soundcloud.com/pedrabranca/funk-sitar-station.



Muito bom o som!

Foto do último show no SESC Bauru

Para mais informações acesse a página deles no facebook.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Fotos e pensamentos dos últimos dias

 Acordo, abro a janela e muitas cores me alegram logo cedo.

 E quando saio a caminhar a beleza, natureza, é o meu respirar.

 O horizonte, sempre me encanta, com a sensação de que devo seguir em frente, sempre.

 E olho para cima com o peito inflamado de gratidão e simplicidade.

 E veja: a beleza da natureza, viva nos corações infantis, que cuidam até de lagartixas em cobertores de folhas. Crianças!

 Flores sendo cuidadas carinhosa e diariamente à espera do seu simples e grandioso florir. 

 E depois de uma noite com sonhos de Joaninha, vem minha outra criança, feliz por ter achado uma, que veio lhe visitar em seu quarto enquanto brincava, sem pensar em nada.

 E... bem... são muitas as flores cuidadas carinhosa e diariamente aqui em casa. Sempre temos suas cores a nos permitir momentos de reflexão interior e sentimento de paz e gratidão profundos.

 Depois ganho do universo esse pôr-do-sol, quando saio a tardezinha para dar minhas aulas. Já chego inspirada e isso reverbera para os que me acompanham nessa vida.

 Nada como comer uma verdurinha fresca e livre de agrotóxicos. 
Isso também faz parte da contemplação da nossa bela natureza e vida.

Enfim, continuo a amadurecer a cada instante, para florir cada vez mais a cada primavera, para dinamizar toda força que habita em mim a cada verão, para contemplar com mais pureza a cada outono, para silenciar com mais estabilidade a cada inverno.
Agradeço por poder viver tudo o que vivo.

Marina Engler

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Respiração e emoção

Encontrei esse texto escrito pelo Professor Clélio Berti, no blog da Unidade do Método DeRose Braga, de Portugal. Como foi pura sincronia com as aulas anteriores, nas quais falei bastante sobre respiração e também, por ter uma aluna de mudança para Braga, achei interessante compartilhar o texto com vocês.

Boa leitura!

"Um corpo saudável e forte necessita de alguns cuidados. Há um tripé fundamental para uma saúde significativa e uma qualidade de vida razoável: boa alimentação, actividade física moderada e felicidade.
Hoje vamos trabalhar com a alimentação. Mas o nosso assunto não é respiração? Pois bem, o corpo humano é alimentado de energia biológica que, no Yôga, chamamos de prána. Essa bioenergia é que movimenta. Um indivíduo com uma quantidade significativa de prána terá uma boa saúde, será activo, realizador e aproveitará a vida numa dimensão superior.
Nós retiramos a bioenergia, prána, do sol, dos alimentos, da água e do ar. Portanto, boa alimentação, do ponto de vista de Yôga, significa ingerir alimentos bons para o organismo, beber água em quantidade e qualidade excelentes e respirar ar puro e de forma que o organismo possa maximizar a absorção de bioenergia. A qualidade do ar não está ao nosso alcance imediato, pois a vida das grandes metrópoles implica numa certa dose de poluição do ar. Entretanto, a respiração adequada de forma a absorver a maior quantidade de bioenergia está disponível para qualquer um. São as técnicas respiratórias do Yôga que chamamos de pránáyáma. Ao quebramos a palavra, temos prána cujo significado é alento, força vital, energia, vitalidade; e áyáma cujo significado é expansão, intensidade. Ou seja, pránáyáma é a expansão da bioenergia através de técnicas respiratórias.

Por outro lado, a respiração é um processo consciente e inconsciente ao mesmo tempo. Respiramos vinte e quatro horas por dia sem que percebamos, porém podemos influir no ritmo respiratório. Portanto, a respiração é um elo de ligação entre as funções conscientes e inconscientes do ser humano.Cada estado emocional possui um ritmo respiratório característico. Se estivermos dormindo, a respiração é abdominal e lenta. Se estivermos agitados, stressados, a respiração é superficial e torácica. Se estivermos em estado de vigília, a respiração tenderá a ser completa. Nesses estados emocionais, o ritmo respiratório é ajustado inconscientemente. Certas características da personalidade humana manifesta-se também na respiração. Pessoas tímidas ou medrosas tendem a ter uma respiração superficial. Elas não conseguem expor-se ao ambiente e interagir com ele de forma ampla. Ou seja, há um padrão normal de respiração para cada indivíduo dependendo das características pessoais.

Toda a tensão emocional é materializada, no plano físico, com uma contracção muscular. Estados duradouros de tensão emocional reflectem-se em estados duradouros de contracção muscular. Reich denominou esse fenómeno de couraça do carácter. Quanto maior a tensão emocional, maior é a couraça do carácter e mais superficial será a respiração. Entretanto, os efeitos da emoção na respiração podem-se notar, de maneira mais intensa, por ocasião de um facto especial. O encontro, por exemplo, com uma grande paixão. O coração acelera, o rosto esquenta, as mãos e os pés gelam e a respiração fica acelerada. Características semelhantes acontecem com um grande susto ou uma situação muito stressante. Os estados emocionais afectam a respiração e o contrário também é verdadeiro: a respiração afecta as emoções. Essa é uma chave fundamental. Se a timidez leva a uma respiração superficial e eu desejo vencer a timidez, posso utilizar uma respiração profunda. Portanto, uma das maneiras de administrar as emoções é a utilização de técnicas respiratórias.

Fotógrafa: Fer Vasconcelos / Modelo: Marina Engler.

Se as emoções se processam a nível inconsciente e provocam uma respiração determinada, a respiração consciente em determinado ritmo, leva a estados emocionais compatíveis. Entretanto, a respiração afecta não só as emoções, mas também os estados mentais. O fluxo do pensamento é determinado também pelo fluxo respiratório. Ou seja, respirar correctamente produz diversos efeitos: há aumento significativo da bioenergia; as emoções são facilmente administradas; e a mente fica serena.  O Yôga possui as retenções com ar e sem ar. Se as emoções e a mente são vinculadas ao fluxo respiratório, se pararmos de respirar temporariamente, nas retenções com ar ou sem ar, o fluxo das emoções e do pensamento também param. Quando isso acontece, estados superiores de consciência manifestam-se. São os respiratórios do Yôga (pránáyámas) que trabalham ritmo com retenções com ar e sem ar.
Outro respiratório muito utilizado no Yôga é a respiração do sopro rápido que leva a uma hiper-oxigenação do sangue. Quando bombeamos muito oxigénio no sangue, há oxigénio nos músculos. Com isso, há uma descontracção generalizada. Se as tensões emocionais levam a contracções musculares, a hiper-oxigenação leva ao relaxamento generalizado dos músculos e, como consequência, relaxamento das tensões emocionais. As técnicas que aumentam a taxa de oxigénio no sangue também estimulam a kundaliní e os chakras, pois aumentam a energia biológica. Com o estímulo dos chakras o indivíduo adquire saúde excelente e desenvolve os poderes interiores. Com o estímulo da kundaliní, o indivíduo atinge estados superiores de consciência e o conhecimento completo de si mesmo e da natureza.

Veja que tanto as técnicas que aumentam significativamente o oxigénio do sangue, bem como os respiratórios ritmados com retenções com ar ou sem ar são úteis para o ser humano. Para utilizar de maneira eficaz, o praticante deverá procurar um instrutor de Yôga formado para trabalhar os dois elementos de forma segura e eficaz. Isso por que, as grandes retenções com ar e, mesmo as não tão longas retenções sem ar, reduzem significativamente o oxigénio do sangue. Se isso não for bem dosado, poderá provocar consequências não agradáveis. Portanto, não se aventure por conta e risco, se não estiver seguro do que está fazendo. Nessa matéria, somente ensinaremos técnicas seguras. Os resultados aparecem de imediato? Quando você faz uma prática de respiratórios e faz respirações profundas, você altera os estados emocionais e mentais. É só parar de fazer o respiratório (pránáyáma) e a respiração volta a ser a mesma. A razão é simples: se você respirou de forma incorrecta por vinte e dois anos, não é em uma prática que esse ritmo é restabelecido. Mas o caminho é esse. Você respira bem durante a prática. Com a repetição da prática, aos poucos, a sua respiração correta cada vez mais passa a fazer parte da sua vida. É bom frisar que não há magia. O resultado depende da prática constante, contínua e frequente.

Para o desenvolvimento adequado das técnicas respiratórias, o correto é você encontrar um instrutor de Yôga formado. Porém, há técnicas simples que podem ser executadas sem qualquer risco e excelentes resultados. O livro Tratado de Yôga do escritor e educador DeRose, relaciona cinquenta e oito técnicas respiratórias diferentes. Entre elas temos respiratórios para activar os chakras e a kundaliní. Esses respiratórios são para praticantes avançados.

Uma técnica simples, porém muito eficiente, é a respiração completa. Conhecido como rája pránáyáma. Sente-se numa posição firme e confortável. Inspire projectando o abdómen para fora, continue inspirando expandindo as constelas para os lados e dilatando a parte mais alta do tórax. Retenha o ar nos pulmões por alguns instantes. Expire soltando a parte alta, depois a média e finalmente a parte baixa dos pulmões. Faça essa respiração por dez minutos e vá aumentado o tempo aos poucos. Qualquer técnica respiratória tem de ser gostosa. Não pode produzir cansaço nem desconforto. A face deve manter-se serena e os batimentos cardíacos não podem acelerar.

Outra técnica interessante é executar o respiratório ritmado enquanto caminha. Você inspira em quatro passos. Retém o ar nos pulmões cheios por quatro passos. Expira nos outros quatro passos. Repita o ciclo enquanto caminha. Você pode ajustar o ritmo ao seu organismo. Se quatro for algo que leve ao desconforto ou falta de ar, você inspira em três passos, retém em três e expira em três. Ou seja, você pode aumentar ou diminuir o tempo de acordo com o seu ritmo biológico. Não poderá haver cansaço, falta de ar ou desconforto. Lembre-se sempre de respeitar o seu corpo. Não o agrida.

O antara kúmbhaka é um excelente respiratório. Sentado numa posição firme e confortável, você inspira expandindo o abdômen, as costelas e o alto do tórax em quatro segundos. Retém com os pulmões cheios contando oito segundos. Expira primeiro a parte alta, depois a média e finalmente a baixa em quatro segundos. É o respiratório ritmado. A proporção aqui ensinada é 1:2:1 (inspiração: retenção com ar: expiração), ou seja, o tempo de retenção com ar é o dobro da inspiração e o tempo da expiração é igual ao da inspiração. Outro ritmo interessante, porém mais avançado, é 1:4:2. Nesse caso, a retenção com ar é quatro vezes o tempo da inspiração e a expiração é o dobro do tempo da inspiração. Assim, por exemplo, se você inspira em quatro segundos, a retenção com ar é em dezasseis segundos e a expiração é em oito segundos. Nessa técnica, não há retenção sem ar. As retenções sem ar não devem ser feitas, sem o acompanhamento de um instrutor de Yôga formado.

O ritmo na respiração produz efeitos fantásticos. Um ritmo suave, cadenciado e fluido deixará as suas emoções e a sua mente, suave, cadenciada e fluida. A respiração ritmada detona qualquer stress. Porém, o ritmo deve ser suave. Não deverá haver ruído e a respiração deverá ser, nesses casos acima, sempre nasais. Ou seja, o ritmo deve ser suave como uma pluma solta ao vento. Não poderá haver cansaço, transpiração, aceleração cardíaca ou desconforto. Qualquer desses sinais significa que você está exagerando na prática. Reduza o tempo de prática ou o ritmo dos respiratórios. Além dos ritmos aqui ensinados, temos vários outros. Há as contrações de glândulas e plexos – as bandas, as mentalizações e as canalizações energéticas. Para isso, faz-se necessária a bibliografia especializada.

Uma excelente possibilidade é a prática orientada por CD. Há a Prática Básica do Mestre DeRose que ensina os fundamentos alguns respiratórios diferentes. O livro Pránáyáma do André Van Lysebeth, Presidente da Federação Belga de Yôga, é também um livro recomendado."

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Mantras - vocalização de sons e ultra-sons

"Mantra é qualquer palavra ou som que possa emitir. Existe um ditado no Yôga que diz: palavra é mantra. Ou seja, em qualquer idioma, quando se fala qualquer coisa, emite-se um mantra, um arquétipo vibratório e sonoro de uma intenção.

Se contada uma verdade, por exemplo, é criado um arquétipo dela. Ao mesmo tempo no inconsciente há um aumento de credibilidade em relação ao que foi dito. Aprimora-se assim a capacidade de emitir vibrações que causem efeitos e resultados reais. Para tanto, o comportamento deve ser atrelado ao preceito de satya*, a verdade, tornando a palavra mais poderosa. O contrário também acontece, no caso de uma mentira. 

...

Mantra pode-se traduzir como vocalização. Compõem-se do radical man (pensar) + a partícula tra (instrumento). É significativa tal construção semântica, já que o mantra é muito utilizado pra se alcançar a  "supressão da instabilidade da consciência", denominada intuição linear ou... meditação!" Essa é uma das finalidades que será explanada no decorrer do livro O poder do mantra, de autoria de Ricardo Melo e Caio Melo.

Fica aí a dica deste excelente  livro sobre mantras.

Na nossa escola temos práticas de mantras nas aulas de sat sanga, às segundas-feiras, às 20h, aberta a todos os alunos. Participe!

*Para saber mais sobre satya, acesse o post Código de ética do Yôgin.

Mantras: sat sanga do dia 17/8

Eis abaixo os mantras vocalizados no sat sanga de ontem (17/8):


Samba Sadáshiva

Samba Sadáshiva, Samba Sadáshiva,
Samba Sadáshiva, Samba Shiva ÔM Hara.
ÔM Mata, ÔM Mata, ÔM Sri Mata Jagadambá (2x)
Uma Paramêshwarí Sri Bhuvanêshwarí,
Ádi Parashaktí Devi Mahêshwarí

Foto de Robeto d'Ávila. Fonte: YôgaPress

Jaya jaya Shiva Shambhô

Jaya jaya Shiva Shambhô. (2x)
Mahádêva Shambhô. (2x)
Shiva, Shiva, Shiva Shambhô. (2x)
Mahádêva Shambhô. (2x)

Aprenda 50 mantras, com letra e vocalização, no site do instrutor do Método DeRose, Marco Carvalho.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Mudrá - Gesto reflexológico feito com as mãos

 Gáruda mudrá
 Swástika mudrá
Pushpaputa mudrá

Mudrá

Um gesto de carinho,
Um gesto de pacificação,
Um gesto de tolerância.

Um gesto sentido,
Um gesto profundo,
Um gesto de bênção.

Mãos que afagam,
Mãos que realizam,
Mãos que seguram as mãos
dos companheiros,
Como que a dizer a cada um:
"Conta com a minha amizade,
sou teu amigo."

Seja qual for, o gesto do Yôga
transmite a força e o amor
que brota do âmago da sua alma
e irrompe pelas próprias mãos...

Isso é mudrá!

DeRose, Tratado de Yôga



quinta-feira, 28 de julho de 2011

Força e leveza, flexibilidade e poder, energia!

Praia Vermelha, Ubatuba/SP

"De acordo com Patáñjali, o codificador do Yôga Clássico, ásana é toda posição firme e confortável. Em se tratando de um Yôga de linha shakta, além da posição estável e agradável, é preciso também que seja estética para transmitir a beleza e a força da técnica. Lembre-se, o que se expressa do lado de fora é apenas o reflexo do que vem de dentro." 

Trecho do livro SwáSthya Yôga em dupla, Gustavo Marson.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Vamos treinar?


Qualidade de vida e autoconhecimento na prática!
Agende uma aula experimental.
Contato: 14 99738 3613.

E faça o free download do CD Prática Básica no site do Método DeRose.

 Capa do CD Prática Básica, disponível para free download no site do Método DeRose.

Ilustrações das técnicas utilizadas no CD Prática Básica.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Unidade Paes de Barros

Estava a fazer algumas pesquisas no google e acabei encontrando algumas fotos antigas da Unidade Paes de Barros.

Bateu uma saudade tão gostosa, um sentimento de gratidão pelo meu monitor Flavio Moreira transbordou juntamente com lembranças marcantes, ensinamentos, treinamentos, experiências que valeram para toda a vida.

Obrigada Fla!

Açaí + egrégora 

 Instrutores e alunos no sat chakra

Eu graduando a querida Lenna Rice